05 dezembro, 2007

Festa dos Amigos da Antiga

Mais uma vez está de parabéns Serrinha, Maria, Tuta, Carlos, Gil e Roberto ½ Kilo, que conseguiram reunir quase 120 amigos da Antiga do Bairro do Marapé, nas dependências do Clube de Bochas Orquidário. Graças à expectativa de vida cada vez maior é que o reencontro é sempre muito agradável.

A animação da festa coube ao Walter Dias que, acompanhado do seu equipamento de som de “úrtima geração”, fez a diferença.

Destaque especial para José Maria Marçal, sempre esbanjando saúde, e que preencheu o mural com fotos do passado, tanto da várzea como do futebol de praia, agradando a todos.

Maguinho e Janjão recordavam os grandes momentos. Lorico e Pereirinha, agora no garfo, nem queriam saber de bola.

Sinval em grandes contratações para o seu buffet. Juarez sempre se posicionando estrategicamente ao lado da churrasqueira. Pinga e Ronaldo não saíam do lado do buffet, não sei por que.

José Maria estava “incomodadocom alguma coisa, talvez devido ao AA S em excesso.

Não posso deixar de citar a turma do Nugget, desta feita liderada pelo Tinoco. Marivaldo ainda se lamentando por ter sido reserva do Barletta, no Náutico Praia Clube.

Espanhol, até que enfim, conseguiu ser campeão de alguma coisa: criador de curió. Aliás, pelo futebol que jogou era o que lhe restava mesmo, pois piava mais do que jogava.

Lamentavelmente, minha máquina digitalque também é de “úrtima”- me deixou na mão e apenas consegui registrar umas poucas fotos. Como havia mais alguém com máquina fotográfica, assim que localizá-lo publicarei mais fotos.





Abraços do Gigi

31 agosto, 2007

POMBAL F.CLUBE

Um dos poucos clubes remanescentes da nossa querida várzea santista. Foi fundado em 1º de Novembro de 1945. A origem de seu nome adveio de uma homenagem prestada ao Sr. Manoel Gamero, nascido na cidade de Pombal, em Portugal, e que cedeu sua mercearia para criar a primeira sede do clube. Ali se reuniram os jogadores-fundadores do Pombal F.C. na pessoa de Wilson Freitas, Rafael, Edmundo, Chapelão, Bigode, Hugo, Paulo Pinho, Isaias, Liberato, Luiz Monteiro, Zezinho e outros. Seu primeiro campo foi o do Garrafaria, que ficava na Rua Silva Jardim, esquina da Av. Afonso Pena. Depois, passou a jogar no antigo campo do Ypiranga, na Vila Hayden, e por último em um campo onde hoje é o BNH. Já pelos idos dos anos 60, quando do desenvolvimento urbano, acabou perdendo seu campo passando a jogar no campo dos adversários, como faz até hoje. Agradeço a grande colaboração de Antonio Ana Maia, responsável por esses dados históricos. Por 15 anos no comando do Pombal, ele contou com a ajuda dos amigos: Wilson e Roberto Freitas, Clovis Monteiro (o Cabeleira), Antonio Barbosa, Nilton, Alípio, Valdomiro (Baiano), Nego, Rubinho, Edmundo, Quincas, Cabral, Bié, Tadeu, Julinho Sacadura, Macena, Baia (Hélio), Rubens Pereira, Osmar, Esquerdinha, Oscar, Jair, João Carlos (Pato), Monteirinho, Edílson e muitos outros. Hoje, o Pombal é comandado por Paulo Antonio da Rocha (Paulo), Valter Firmino (Valtinho) e Paulo Roberto (Mineirinho). O aniversário do Clube é comemorado todo segundo domingo do mês de novembro, com festival e confraternização entre jogadores e familiares.
Abraços do Gigi.

Galeria de Fotos do Pombal Futebol Clube


Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket
Photobucket

17 julho, 2007

Os 71 anos do Dodô

Outra festa de aniversário das mais brilhantes, que reuniu os amigos do Dodô ( 71) e do Maneco do Cascalho, no Brasil F.C., clube comandado pelo meu amigo Chico Chagas, que por sinal está de parabéns pelas benfeitorias. No time dos Amigos do Dodô, quase todos beirando os setentinha (70), e eu com meus 65 me senti um garoto; já no time dos Amigos do Maneco do Cascalho quase todos abaixo dos sessenta (60), daí imaginem a canseira que deram. Mas, como em futebol o que vale é bola na rede e quem não faz toma, para nossa sorte a partida acabou empatada em 2x2, e como éramos os donos da festa ficamos com o troféu de campeão. Bastou isto para descontentar o filho do Dodô, que me havia pedido para não ganhar o jogo porque a sua mãe não queria saber daquele troféu em casa. Outro fato curioso foi a chegada de Índio, montado a cavalo. Amarrou o animal no poste do clube, deixando o Chico Chagas uma arara. Caboré, “lá de cima”, estava todo contente imaginando que hoje ele renovaria o seu plantel, e uma voz do além ressoava: ”estou precisando de um lateral e de um central”. Garra, Paulo e Toti se escondiam. Mica como sempre fininho, e eu, com meus 100 kg, acabei não pegando na bola. Invejável foi o pique do Rodrigues, quando lançado em profundidade mergulhou e saiu nadando. Todos bradavam: ”mas isto é futebol e não natação...” - e ele retrucava: “cada um corre do jeito que quiser...eu quero correr deitado ..e daí!” Acabou sendo substituído, sem ao menos pegar na bola. Presente também João Soares, o autêntico artilheiro de Deus, tanto que deveria ter emprestado uns tantos de seus mais de 1000 gols para aliviar o sofrimento do baixinho Romário. Garra, pra variar, sempre mamando a carne em churrascada, não sei por quê.
Enfim, minha gente, a brincadeira foi para descontrair. Parabéns ao meu querido amigo Dodô pelos seus 71 aninhos, e também pela linda festa comandada pelo seu filho.
Abraços do Gigi.