17 julho, 2007

Os 71 anos do Dodô

Outra festa de aniversário das mais brilhantes, que reuniu os amigos do Dodô ( 71) e do Maneco do Cascalho, no Brasil F.C., clube comandado pelo meu amigo Chico Chagas, que por sinal está de parabéns pelas benfeitorias. No time dos Amigos do Dodô, quase todos beirando os setentinha (70), e eu com meus 65 me senti um garoto; já no time dos Amigos do Maneco do Cascalho quase todos abaixo dos sessenta (60), daí imaginem a canseira que deram. Mas, como em futebol o que vale é bola na rede e quem não faz toma, para nossa sorte a partida acabou empatada em 2x2, e como éramos os donos da festa ficamos com o troféu de campeão. Bastou isto para descontentar o filho do Dodô, que me havia pedido para não ganhar o jogo porque a sua mãe não queria saber daquele troféu em casa. Outro fato curioso foi a chegada de Índio, montado a cavalo. Amarrou o animal no poste do clube, deixando o Chico Chagas uma arara. Caboré, “lá de cima”, estava todo contente imaginando que hoje ele renovaria o seu plantel, e uma voz do além ressoava: ”estou precisando de um lateral e de um central”. Garra, Paulo e Toti se escondiam. Mica como sempre fininho, e eu, com meus 100 kg, acabei não pegando na bola. Invejável foi o pique do Rodrigues, quando lançado em profundidade mergulhou e saiu nadando. Todos bradavam: ”mas isto é futebol e não natação...” - e ele retrucava: “cada um corre do jeito que quiser...eu quero correr deitado ..e daí!” Acabou sendo substituído, sem ao menos pegar na bola. Presente também João Soares, o autêntico artilheiro de Deus, tanto que deveria ter emprestado uns tantos de seus mais de 1000 gols para aliviar o sofrimento do baixinho Romário. Garra, pra variar, sempre mamando a carne em churrascada, não sei por quê.
Enfim, minha gente, a brincadeira foi para descontrair. Parabéns ao meu querido amigo Dodô pelos seus 71 aninhos, e também pela linda festa comandada pelo seu filho.
Abraços do Gigi.